Carta da Irmã Lucília - Abril 2011

Postado 2011/04/01

Notícias Abril 2011

Queridos amigos, queridos Padrinhos e Madrinhas,
 
Sinto-me em dívida com todos vós. As notícias têm sido tão escassas! Peço desculpa.
 A vida no Centro Laura Vicunha, continua a crescer. Aumentam os alunos, aumentam as crianças apadrinhadas, aumenta o raio de incidência… “Tudo cresce e se multiplica”como diz o salmo.
 O ano escolar iniciou com mais de 2000 alunos da primeira à décima segunda classe; as internas com muitas pequeninas, vão crescendo em sabedoria, pelo menos já falam português… A Miralda, a Margarida, a Sidónia e a Márcia, estão entre os 3 e os 4 aninhos. Todas elas, embora na sua penúria, sentem-se felizes.
As internas mais velhas são de grande ajuda. Aprendem a “saber cuidar”e também isso lhes servirá  no futuro.
 
Dia 15 de Março foi o dia da distribuição da alimentação. Valeu-nos a ajuda dos voluntários, do camião, e do Tractor.
Foi esta a última distribuição às crianças que têm mais de 12 anos. Pedimos agora aos padrinhos - madrinhas que tenham uma criança com esta idade, o favor de abrir o coração para acolher uma outra criança, das muitas que estão em lista de espera, uma vez que as mais crescidas, já podem dar uma colaboração à família. Sei que têm uma ligação afectiva grande aos vossos afilhados, mas vendo a necessidade de tantos bebés que precisam de ajuda, pedimos a vossa compreensão. Enviaremos individualmente  o pedido a cada padrinho – madrinha.
 Como já muitas vezes comunicámos, ardia no nosso coração o desejo de trocar a escola de Madovela, as cabanas, sem chão, nem tecto, por uma escola onde as crianças se sentissem bem. Pois, o nosso desejo tornou-se realidade: Os Amigos de Inharrime da Espanha conseguiram os fundos necessários para tal e já se deu início à obra. As primeiras duas salas de aula já estão a subir. No dia 16 de Março foi o grande dia de início da obra, com a respectiva cerimónia aos antepassados e ao sacrifício do cabrito e das galinhas…
É bonito, agora, ver toda a população envolvida na construção da sua escola e, se Deus quiser, dentro de dois meses teremos 2 das cinco salas prontas.
 Os voluntários continuam a prestar a sua valiosa ajuda ao Centro. As crianças internas beneficiam-se não só do amor, mas também dos conhecimentos de todos e todas as que por aqui passam. Temos entre nós a Carolina e a Maria, as duas Arquitectas de Lisboa, que no mês em que nos brindaram a sua presença foram verdadeiras pedagogas com pequenas e crescidas; Está connosco também o Óscar, que é a grande alavanca nos apadrinhamentos, base se dados, cartões para as famílias e tudo o que diz respeito à organização de crianças, padrinhos, madrinhas, leites etc. Deixa os aviões e agarra o tractor, blocos, além de tudo o resto. Durante este tempo, ele acompanha a obra da escola. Com ele estiveram duas senhoras, uma delas médica, que aqui também foi costureira, juntamente com a sua colega.
Espero nestes dias a irmã de Óscar, arquitecta, para acompanhar a construção da escola.
No que diz respeito aos voluntários, gostaria de informar que a Província se vai organizando, também nesta área e para tal se escolheu uma responsável. É  a Irmã Silvana Monachello.  Cujo mail é: silvanamonachello@hotmail.com 
Como há outras casas que podem ter tanta necessidade de voluntários como Inharrime, é bom que seja uma pessoa a coordenar a distribuição .
 Queridos amigos, o Centro Laura Vicunha é o que é, porque vós existis e estais nos bastidores a empurrar o carro.Obrigada pela vossa presença, pelo vosso carinho e pelo que cada um significa para mim…
 As obras ainda não terminam… O laboratório de química e biologia está na recta final. As 3 salas de aula iniciadas no mês de Dezembro estão prontas e a funcionar, mas falta a varanda, esperando a interrupção lectiva para se concluir.
 Para a Pastelaria falta-nos o balcão frigorífico. Esperamos que também este projecto no mês de Abril comece a dar o seu fruto.
 padaria, embora com alguma dificuldade devido ao aumento “desmedido”da farinha , que passou de 730 para 1.180 miticais/ saco em menos de um ano, continua a dar pão a todos. Neste sentido partilho um gesto lindo, dos muitos que vão acontecendo por aqui: Conversando com uma senhora do Maputo falava desta dificuldade, do aumento da farinha e que não sabia se seria possível dar pão a todos os alunos ou talvez só déssemos aos 360 da escola primária… prontificou-se de imediato a tudo fazer para conseguir comprar a farinha para que todos os alunos tivessem pão, denominando o seu projecto: “Pão para todos”. Desta forma cada dia temos assegurados 2 sacos de farinha para pão dos alunos. Como qualificar? Providência? Amor aos últimos? Seja como for é o amor que se manifesta e todo o amor semeado vem de Deus!
 Queridos amigos/as, a necessidade de partilhar é sempre forte, mas sei que o vosso tempo é limitado, pelo que agradeço o tempo que me ofereceis lendo estas palavras. É a vida que vai desabrochando e tudo o que é vida é para ser partilhada.
Um abraço grande, grande, de quem pensa em todos e por todos reza,
Ir. Lucília Teixeira