Carta da Irmã Lucília - Outubro 2016

Postado 2016/12/02

.

Queridos amigos, Padrinhos e Órgãos da Associação,
 
Como já há bastante tempo que não comunico, envio-vos hoje algumas notícias:
Foram muitos voluntários que por aqui passaram ao longo dos últimos meses, deixando a sua marca e o seu rasto de amor, de ternura, de competência. Tudo continua a ser visível em cada cantinho deste Centro, mas especialmente, se percebe o perfume do amor, no coração das nossas crianças e jovens.
Houve jovens de Itália, de Espanha e de Portugal. Cada um, e cada grupo, deu o seu melhor a todos e a cada uma de nós, por isso exprimimos a nossa profunda gratidão.
 
Algumas das meninas internas com as suas crises de crescimento, (12-14 anos) têm exigido uma atenção particular, mas acredito, que a reflexão e o acompanhamento, farão sim, que ultrapassem as situações mais conflituosas.
Dia 22, mais uma vez distribuímos a alimentação, sabão, sacolas e xaropes às famílias das crianças apadrinhadas. Foi para todos um dia de alegria, uma vez que sobe tudo actualmente, os produtos básicos de alimentação se vão tornando “miragem” para os pobres. Vós, com a ajuda que nos dais, fazeis acontecer o milagre. O milagre da partilha para todos os que mais precisam. Em nome deles e nosso: KANIMAMBO!
O Centro ainda não terminou com as contruções. Depois da cobertura do campo, iniciamos a construção da biblioteca e sala de Professores da escola primária, que já vai adiantada. É verdade que cada dia se torna mais difícil fazer qualquer obra, devido à desvalorização da moeda e à necessidade de importação do material. Espero que no fim do ano a obra esteja concluída e as crianças possam no próximo ano ter maior comodidade para frequentar a biblioteca.
Espero que as construções terminem!
 
No que diz respeito à Padaria, embora continuando a trabalhar e tenha aumentado muito a produção, não se pode dizer o mesmo do lucro...O camião de farinha que no ano passado custava 400.000,00 Meticais, hoje custa 711.000,00 e o pão vende-se ao mesmo preço porque o povo não tem poder de compra. Queremos, pelo menos dar “pão a quem tem fome”. Nesse sentido continuamos a fornecer o pão aos postos de venda, dando-lhes a possibilidade de ganhar 30 centavos em cada papo-seco. As pessoas, especialmente as mulheres, têm um certo lucro, uma vez que levam bastante pão para venda.
Estamos também a procurar ajudar com o micro-crédto quem deseja iniciar um pequeno negócio. Além do pão, há quem tenha a sua banca de produtos alimentares e outras com chenelos de plástico. Inventa-se o que a imaginação nos vai sugerindo, muito pouco, para os grandes desafios dos pobres.
Os campos, estão praticamente varridos. O calor intenso não tem permitido fazer as sementeiras, e até a mandioca que se foi plantando, secou. Espera-se a chuva como benção de Deus.
 
A comunidade, que este ano foi bastante reduzida, (apenas 5) desdobra-se para chegar a tudo! Tem sido muito trabalho. Esperamos o fim do ano para descansar um pouco, desejando que no 2017 sejamos mais Irmãs a levar o “barco”a bom termo...
Domingo dia 2, recebemos mais um presente de Deus. Desta vez foram 2 meninos a chegar ao Centro. Além da ajuda que se dá aos meninos do Sr. Henriques, temos agora mais dois que vêm das redondezas de Inharrime, que está a ser invadido por pessoas de má fé, que raptam as crianças. Foi para salvar esses dois que os acolhemos e pedimos a vizinhos para os deixar dormir na sua casa, uma vez que nós só temos dormitórios para meninas. Os gritos do povo são cada vez mais fortes e não podemos fechar os ouvidos, para não sermos infiéis à nossa missão.
 
Queridos todos e todas, sintam que embora comunicando pouco, todos estão bem dentro do meu coração e cada dia agradeço aquilo que são e fazem por todos os pobres desta terra.
 
Com um carinho sempre renovado a todos desejo a paz, a alegria e muita felicidade.
Ir. Lucília Teixeira

.